Image Map

Tropa de Elite 2 (por Michelle)

Oi gnt... A resenha da semana ficou para hoje. Eu vou colar a resenha que saiu sobre o filme Tropa de Elite 2 no site http://www.agenciario.com/, pois ela resume tudo o que eu senti ao vê esse longa brilhante.

"Espetacular, politizado, agressivo, polêmico são muitos os adjetivos que podemos usar para o maior lançamento do cinema nacional, que já chega fazendo história. Mais de 50% das salas de cinema no Brasil estão ocupadas por filmes nacionais. E a expectativa é de que neste fim de semana mais de 1,1 milhão de pessoas assistam “Tropa de Elite 2 - O Inimigo agora é outro” de José Padilha.

O filme é revelador e acima de tudo, político. A história do Coronel Nascimento (Wagner Moura) abre os olhos do espectador para uma realidade que já ouvimos falar, mas até então não tínhamos visto. Já no primeiro filme podemos constatar isso, quando vimos a guerra nas favelas, a atuação de policiais corruptos e o trabalho do BOPE. Agora, o filme expõe a ligação entre governo e milícia durante o ano eleitoral, mostrando como a corrupção evoluiu.

O segundo filme também utiliza narração em off e tem muitas cenas sangrentas de confronto entre o BOPE e os traficantes nas favelas. O uso de cortes bruscos, som de batidas de coração, câmera na mão e o descontrole dela nas cenas fazem com que o filme fique mais intenso. A sensação é a mesma do coronel Nascimento quando descobre que o sistema para o qual trabalha não funciona, parece que levamos um soco.

O coronel Nascimento virou herói nacional. Só de pensar na possibilidade da morte dele, o espectador já fica apreensivo. Nascimento é um herói cheio de defeitos o que aproxima mais ainda a relação com o público. Com uma memorável atuação de Wagner Moura, neste segundo filme, podemos ver o coronel muito mais contido e maduro e sem a farda do BOPE. Nascimento agora tem 40 anos, veste terno e gravata, e tem problemas pessoais muito bem expostos no filme. Ele mal consegue se relacionar com o filho. Em uma das cenas, os dois aparecem no tatame, onde pai e filho lutam literalmente para se entender.

Outra realidade interessante apresentada é a função fiscalizadora da mídia na sociedade. O filme retrata o jornalista investigativo que apura até o último instante tudo sobre a milícia, e que tem como consequência a morte. Já o uso da mídia como degrau para a política é mostrado pelo personagem Fortunato (André Mattos), que chega a nos fazer rir como apresentador de programa popular que vira político.

“Tropa de Elite 2” mostra a relação de Nascimento com a política pública de segurança, a realidade da milícia no Rio de Janeiro e todas as suas vertentes em um encadeamento de cenas muito bem filmadas e dirigidas. E tudo bem explicado e esmiuçado do jeito que José Padilha gosta.  É um banho de consciência crítica, que transforma o filme num clássico Brasileiro."

Essa resenha resume tudo o que eu queria falar sobre o filme. É brilhante, faz com que quem está do outro lado da telona questione várias coisas que estão atrás das cortinas da corrupção. Corram para os cinemas e aproveitem que o final de semana está batendo na sua porta.





2 comentários:

  1. Interessante... acho uqe vou ver Sabado!!!

    ResponderExcluir
  2. www.opstonamoda.blogspot.com

    dá uma passadinha lá ;)

    *adorei o blog :*

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails